Veja alguns chapeus do casamento real

Atualizado em  29 de abril, 2011 - 07:18 (Brasília) 10:18 GMT

Veja alguns chapeus do casamento real

O casamento do príncipe William e de Kate Middleton representou para vários convidados uma oportunidade para exibir seus chapéus elegantes - e às vezes, extravagentes, nesta sexta-feira.
Chapéus de convidados chamaram atenção durante a cerimônia
Entre os homens, alguns também escolheram usar os adereços elegantes sobre suas cabeças.
Milhares de pessoas foram às ruas de Londres para assistir à cerimônia real.

Exposição em Roma tenta reabilitar imagem de Nero

Categoria:

Exposição em Roma tenta reabilitar imagem de Nero

Busto de mármore retratam Nero, que integra mostra dedicada ao imperador, em cartaz em Roma (Mostra Nerone, fotos cedidas à BBC)
Busto de mármore feito entre 64 e 68 d.C. integra exposição
Uma exposição na área arqueológica de Roma antiga celebra o imperador Nero, conhecido como um tirano cruel e louco incendiário, em uma tentativa de revelar seu perfil de urbanista inovador, homem culto e artista sensível.
A exposição se espalha pela principal área arqueológica de Roma, entre o Coliseu e o Fórum Romano, onde o imperador, famoso também por perseguir os primeiros cristãos, viveu e reinou.
Lucio Domizio Enobarbo tornou-se imperador com o nome de Nero Claudius Caesar aos 17 anos de idade em de 54 dC.
Na descrição do historiador Svetonio, por exemplo, Nero aparece como figura excêntrica:
Nerone a Baia, de Jan Styka, que faz parte da mostra dedicada a Nero, em cartaz em Roma
Pinturas como a de Jan Styka, de 1900, retratando Nero
"Estatura quase normal, corpo cheio de sardas e mal cheiroso. Cabelos louros, rosto bonito, mas sem graça. Olhos azuis, mas fracos, pescoço largo, ventre grande, pernas magras e saúde ótima. Não se vestia muito bem e aparecia em público com roupas íntimas, um lenço amarrado no pescoço, sem cinto e descalço”.
Personagem complexo e contraditório, Nero teria reinado de forma exemplar no começo, para depois se transformar num dos personagens mais cruéis, narcisistas e megalomaníacos da História.
“Se Nero tivesse morrido nos primeiros anos de reino, não seria recordado como o “veneno do mundo”, apelido que lhe foi dado pelo historiador Plínio, o Velho” disse o historiador Andrea Giardina ao apresentar a mostra, que vai até dia 18 de setembro.
Contra as elites
A imagem negativa que atravessou a História, se deve, segundo dados apresentados na mostra, a medidas que Nero teria tomado e que teriam descontentado as elites romanas da época.
Odiado pela aristocracia, Nero, no entanto, era amado pela plebe. E para encontrar seu povo, precisava de grandes espaços, conforme explicou o arqueólogo Carandini.
“Do Coliseu ao Palatino Nero, havia criado uma espécie de cenário arquitetônico para um grande ato de demagogia”, disse, na apresentação da mostra.
Caminho com pisos e afrescos do período romano, que integra mostra decida ao imperador Nero (fotos da Mostra Nerone cedidas à BBC)
Exibição destaca ainda afrescos e pisos típicos do período em que imperador viveu
Nesta área, havia um grande lago artificial, que depois foi eliminado para dar lugar ao anfiteatro Flavio, conhecido como Coliseu.
Segundo Carandini, Nero organizava banquetes suntuosos no lago, a bordo de uma grande embarcação.
O percurso da mostra começa nesta área, dentro do Fórum Romano, coração da Roma antiga, e ocupa diversos espaços com exposição de retratos do imperador e de sua família, vídeos que projetam trechos de filmes sobre ele e peças que testemunham o luxo exagerado de seus palácios.
Fazem parte da mostra as áreas do Fórum onde arqueólogos ainda buscam restos de outras residências de Nero, e pode-se ver o que resta da “Coenatio Rotunda”, a famosa sala de jantar giratória que foi descoberta nas escavações em 2009.
Urbanismo
Segundo o Ministério da Cultura, responsável pela mostra, o imperador, que segundo a lenda tocava cítara enquanto Roma queimava, contribuiu de forma decisiva para redesenhar o plano urbanístico da capital.
A exposição termina no Coliseu, com uma parte dedicada ao grande incêndio, um dos eventos mais trágicos da história de Roma.
Segundo testemunhos da época, foi Nero quem mandou incendiar Roma na noite de 18 de julho de 64 Dc, para construir seu palácio mais suntuoso, a Domus Áurea. O fogo durou nove dias.
“Nero desejava a glória de fundar uma nova cidade à qual daria seu nome”, escreveu Tacito, historiador da época.
Segundo Andrea Carandini, para concretizar seu projeto urbanístico, Nero previa grandes expropriações, que seriam mais fáceis de serem realizadas após um incêndio.
Ilustração o reproduz palácio Domus Aurea, construído por Nero, da mostra dedicada ao imperador romano, em cartaz em Roma em abril de 2011
Ilustração reproduz modelo original do palácio Domus Aurea, criado por Nero
Oficialmente, a culpa caiu sobre os cristãos. As confissões foram arrancadas sob terríveis torturas. Nero ordenou prisões em massa, condenações à morte e crucificações. Nos últimos anos de seu reino teriam sido martirizados os dois maiores santos do cristianismo: Pedro e Paulo.
A historiadora Silvia Ronchey, contudo, defende Nero.
“Os primeiros editais contra os cristãos são da época de Domiziano e Traiano”. E o grande inimigo deles foi, na realidade, o imperador filosofo Marco Aurélio’’, escreveu num recente artigo sobre a mostra.
A imagem que nos foi passada não faz justiça ao imperador que tinha um refinado carisma e gosto estético, segundo a historiadora.
Segundo ela, Nero conquistou uma imagem de divo graças à vocação teatral, uma calculada atenção ao aplauso do povo.
“Era um campeão esportivo, ator e músico com tal carisma que se tornou um verdadeiro mito. Ainda adolescente subiu ao trono de um império que se estendia sobre três continentes, o maior que já existiu. Teve um enorme prestigio não só em Roma, e suicidou-se aos 31 anos, declamando um poema de Homero Fonte BBC

William e Kate celebram a última festa do dia


29/04/2011
Veja Relacionados: 
 
Casamento real

William e Kate celebram a última festa do dia

 
 
 
John Stillwell/AP
Foto 2 de 5O príncipe William, como o resto dos convidados, veste um fraque para a festa privada, que incluirá música e baile para os familiares e amigos mais próximos. Imagem registra momento em que William deixa a Clarence House ao lado de seu pai, o príncipe Charles, com Kate e Camilla ao fundo fonte R7

Bueiro solta fumaça e guardas isolam área na Zona Norte do Rio

Categoria:
27/04/2011 22h43 - Atualizado em 27/04/2011 23h33

Bueiro solta fumaça e guardas isolam área na Zona Norte do Rio

Problema aconteceu em bueiro na Rua Santo Afonso, na Tijuca.
Técnicos da Light estão no local para verificar fumaça.

Do G1 RJ
Guardas municipais isolaram uma área de uma das principais ruas da Tijuca, na Zona Norte do Rio, após um bueiro soltar fumaça, na noite desta quarta-feira (27). O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que o bueiro é da Light, empresa responsável pelo fornecimento de energia na cidade.
Guardas isolaram área após fumça sair de bueiro na Rua Santo Afonso, esquina com General Roca, na Tijuca (Foto: Marco Antonio Teixeira / Ag. O Globo)Guardas isolaram área após fumça sair de bueiro na Rua Santo Afonso, esquina com General Roca, na Tijuca (Foto: Marco Antonio Teixeira / Ag. O Globo)
De acordo com o Centro de Operações, o problema aconteceu por volta das 22 horas, na Rua Santo Afonso, na esquina com a Rua General Roca. Segundo as primeiras informações da Light, a fumaça é  vapor d´água saindo da câmera subterrânea. O problema seria uma consequência do contato da água da chuva, que caiu na segunda e na terça-feira (26), com a alta temperatura da caixa subterrânea.
O Centro de Operações informou ainda que não houve feridos no incidente.Técnicos da companhia estão no local para realizar o conserto.
Problema recorrente
No último dia 15, a grande quantidade de fumaça que saía de uma bueiro na esquina das ruas do Resende e Gomes Freire, no Centro do Rio, assustou pedestres e motoristas que passavam pela região.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, testemunhas disseram que viram fogo saindo da câmara subterrânea. Ninguém ficou ferido.
Bueiro em CopacabanaNo dia 1º de abril, um bueiro explodiu na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, na Zona Sul da cidade e deixou cinco pessoas feridas. Dois carros foram atingidos pela tampa do bueiro. A via ficou interditada até o dia seguinte para reparos, entre as ruas Miguel Lemos e Raimundo Corrêa Fonte G1

Não é uma tarefa fácil a desencarnação', diz Lula

Categoria:
27/04/2011 22h55 - Atualizado em 28/04/2011 04h32

'Não é uma tarefa fácil a desencarnação', diz Lula

Ex-presidente participou da abertura do 8º Congresso Nacional da CUT.
Lula pediu apoio dos metalúrgicos para o governo de Dilma Rousseff.

Iara Lemos Do G1, em Brasília
O ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, participa do 8° Congresso Nacional dos Metalúrgicos da CUT, que aconteceu no auditório do Hotel Cezar Park, em Guarulhos. (Foto: JB Neto/AE)O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no 8°
Congresso Nacional dos Metalúrgicos da CUT,
no auditório do Hotel Cezar Park, em Guarulhos.
(Foto: JB Neto/AE)
O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva disse na noite desta quarta-feira (27), que não está sendo fácil esquecer as tarefas que desempenhava como presidente. Lula discursou por mais de uma hora durante a abertura do 8º Congresso Nacional de Metalúrgicos da CUT, em Guarulhos (SP).
O ex-presidente foi aplaudido em pé pelos militantes, que cantaram em coro o nome de Lula no começo e no fim do discurso.
"Eu ainda não desencarnei totalmente do meu mandato de presidente. Não é uma tarefa fácil a desencarnação. É um processo difícil. E eu assumi um compromisso com a minha consciência e com a companheira Dilma de que era preciso um processo de desencarnação para que pudéssemos construir a cara e o jeito de governar da nossa presidente, sem a cara do ex-presidente. E, ao mesmo tempo, eu queria também ensinar a alguns ex-presidentes como é importante ser um ex-presidente sem dar palpites. Eu tenho falado mais do passado, e deixado o futuro para que a nossa presidente fale", disse Lula.
Presidente de honra do PT, Lula  admitiu diante dos metalúrgicos que está com saudades de percorrer o Brasil em caravanas, como fazia nos tempos de campanha política.
"Estou com uma saudade, um comichão, uma coceira esquisita, com vontade de fazer caravana, viajar pelos estados, fazer plenárias, visitar quilombos e indígenas. Eu estou com vontade de tudo, mas eu tenho de me controlar pois somente com autocontrole é que eu vou conseguir desencarnar e assumir o papel de ex-presidente de verdade", disse.
Estou com uma saudade, um comichão, uma coceira esquisita, com vontade de fazer caravana, viajar pelos estados, fazer plenárias, vistar quilombos e indígenas. Eu estou com vontade de tudo, mas eu tenho de me controlar pois somente com autocontrole é que eu vou conseguir desencarnar e assumir o papel de ex-presidente de verdade"
Luiz Inácio Lula da Silva
Durante o discurso, Lula relembrou alguns dos principais programas desenvolvidos pelo seu governo, como o Luz para Todos e o ProUni. Lula chegou a dizer que nenhum governo na "humanidade" praticou a democracia como o seu.
"Eu duvido que na história da democracia praticada pela humaniodade tenha havido um governo que tenha exercido a democracia na plenitude que nos exercitamos".
Sem citar nomes, o ex-presidente alfinetou  adversários políticos, dizendo que a frase que se tornou símbolo do seu governo foi criada para atacar os opositores.
"Não tenho nenhuma vergonha de dizer que  quando eu dizia 'nunca antes na história deste país' era para provocar os adversários. Eles nunca fizeram nada. Eu sei quantas vezes dizeram que a Marisa não poderia ser primeira-dama porque ela não ia conseguir limpar os vidros do Palácio do Planalto. Quantas vezes disseram que eu não poderia fazer política externa porque eu não falava inglês nem francês. E eu provei que podia ser melhor que eles", disse.
Lula lembrou que nem sempre a relação foi fácil entre governo e sindicatos, mas que "nunca perdeu" a noção de que lado ele estava. "Muitas vezes, os companheiros sindicalistas foram duros com o governo, e nós fomos duros com os companheiros. Mas nunca perdemos a visão de que lado nós estávamos, de que lado nós representávamos. No momento difícil foi o movimento popular que assumiu a defesa do governo".
O ex-presidente ainda afirmou que não há nenhuma possibilidade de divergências entre ele e a presidente Dilma, e pediu que os sindicalistas apoiem o governo de Dilma. "Eu sei que às vezes vocês ficaram chateados, ficaram decepcionados, mas neste momento vocês têm de dizer, ele cometeu um erro, mas ele era nosso. Ela cometeu um erro, mas ela é nossa. Portanto, é nossa obrigação dar sustentação para ela [Dilma], para que tenhamos uma Copa do Mundo maravilhosa. Depois vamos fazer uma Olimpíada maravilha", disse.
O ex-presidente terminou seu discurso falando sobre a crise econômica, e disse que o governo vai cuidar da crise como "se cuida de um filho".
"O problema da crise econômica não é nosso. Não é porque vocês ganharam aumento de salário, é por termos uma política relacionada a uma economia do dólar, que resolveu fazer um ajuste fiscal e afeta o resto. Nós temos consciência que vamos cuidar desta crise como se cuida de um filho. Nós não vamos permitir que a inflação volte. Nós, que somos trabalhadores, temos a obrigação que a inflação não volte neste país. Quem perde com a inflação não é a Dilma nem o Guido [Mantega, ministro da Fazenda]. É quem vive de salário. Temos de ser homens e mulheres guerreiros contra a inflação".Fonte G1

Promotor italiano quer ação contra brasileiro Mancini por crime sexual

Categoria:
BBC 27/04/2011 18h20 - Atualizado em 27/04/2011 18h39

Promotor italiano quer ação contra brasileiro Mancini por crime sexual

Jogador brasileiro, que nega acusações, teria violentado cantora em festa em Milão.

Da BBC
O jogador brasileiro Mancini (Foto: Divulgação/Inter de Milão)O jogador brasileiro Mancini (Foto: Divulgação/Inter
de Milão)
Um promotor público de Milão (norte da Itália) solicitou que o jogador brasileiro Mancini, atualmente no Atlético Mineiro, seja processado por violência sexual e lesões corporais, informaram nesta quarta-feira jornais do país.
A violência teria ocorrido em dezembro de 2010 em Milão, durante uma festa do jogador Ronaldinho Gaúcho, e teria vitimado uma cantora brasileira de 30 anos bastante conhecida no Brasil, segundo a imprensa italiana. A mulher não teve a identidade revelada.
Na época, Mancini jogava na Inter de Milão, após passar pelo Milan e pela Roma.
De acordo com os jornais, que citam fontes da Promotoria, Mancini teria conhecido a cantora na madrugada de 9 de dezembro. Ele teria aproveitado que ela se encontrava em estado de embriaguez para obrigá-la a manter relações sexuais repetidamente, provocando escoriações.
A brasileira denunciou o caso à polícia na manhã seguinte, após ter passado por exames médicos no setor especializado em violência sexual do Hospital Mangiagalli, de Milão.
Jogador negaO promotor encarregado do caso é Elio Remondini, do tribunal de Milão.
O caso veio à tona em fevereiro passado, quando a imprensa italiana divulgou que o incidente estava sendo investigado.
No Brasil, Mancini, de 31 anos, disse que não houve violência sexual, já que a mulher teria concordado com a relação.
Alem de Mancini, seu procurador, Geraldo Eugenio do Nascimento, de 56 anos , também estaria envolvido, acusado de tentar acobertar a denúncia.
Mancini voltou ao Brasil em janeiro deste ano para jogar em Belo Horizonte pelo Atlético Mineiro, clube onde iniciou sua carreira.Fonte G1

Homem é preso por sobrevoar Buenos Aires para driblar trânsito

Categoria:
publicado em 27/04/2011 às 18h05:

Homem é preso por sobrevoar
Buenos Aires para driblar trânsito

Jovem de 31 anos alegou que não queria se atrasar para uma entrevista de emprego
Do R7 com Efe
Reprodução/27.04.2011/ClarínReprodução/27.04.2011/Clarín
Homem disse que voou para realizar o sonho de presos no trânsito, mas imprensa local afirma que foi uma ação publicitária

Publicidade<script language="JavaScript" type="text/javascript">document.write('<a href="http://mfp1.adnetwork.com.br/mfp/adnetwork/maestro/rm/$d=426$u=9019898803799245989$t=1$s=63$b=70207$cr=18414$f=16213$c=0$n=263816934$ct=http://clk.atdmt.com/QZ1/go/312660060/direct/01/" target="_blank"><img src="http://view.atdmt.com/QZ1/view/312660060/direct/01/263816934"/></a>');</script><noscript><a href="http://mfp1.adnetwork.com.br/mfp/adnetwork/maestro/rm/$d=426$u=9019898803799245989$t=1$s=63$b=70207$cr=18414$f=16213$c=0$n=263816934$ct=http://clk.atdmt.com/QZ1/go/312660060/direct/01/" target="_blank"><img border="0" src="http://view.atdmt.com/QZ1/view/312660060/direct/01/263816934" /></a></noscript>
Um homem foi preso nesta quarta-feira (27) em Buenos Aires por sobrevoar de parapente uma das principais avenidas da capital argentina, atraindo a atenção de diversas pessoas que passavam pelos locais.
Vestido com terno e gravata, o homem de 31 anos sobrevoou de parapente (parecido com um paraquedas), e acabou preso por colocar em perigo o espaço aéreo local.
Hernán Pitocco, que se definiu como um "profissional do parapente", garantiu aos jornalistas que queria realizar "o sonho dos que estão presos no trânsito", enquanto a imprensa local afirmou que na realidade se tratou de uma ação publicitária de uma marca de bebidas energéticas.
O homem sobrevoou monumentos e avenidas importantes da capital argentina e fez várias manobras sobre o Teatro Colón e o Obelisco.
Pitocco aterrissou no bairro portenho de Puerto Madero, à beira do Rio da Prata, onde oficiais da Prefeitura Naval prenderam-no alegando que estava "pondo em perigo o espaço aéreo nacional".
"Projetei o lugar de decolagem e um circuito de voo que não afetasse o tráfego aéreo nem a segurança de ninguém", sustentou o homem que afirmou que realizou provas similares na Europa, "embora com permissão das autoridades".
- A vista de Buenos Aires era incrível e todas as pessoas que passavam me cumprimentavam felizes. Acho que foi uma coisa agradável para o público e na realidade ninguém se sentiu prejudicado.Fonte R7

Número de mortos em tiroteio no aeroporto da capital afegã sobe a 10

Categoria:

27/04/2011 09h15 - Atualizado em 27/04/2011 11h24

Número de mortos em tiroteio no aeroporto da capital afegã sobe a 10

Oito dos mortos são soldados estrangeiros da Otan.
Autoridades falaram em desentendimento, e Talibã afirma que foi atentado.

Do G1, com agências internacionais
Pelo menos 10 pessoas morreram nesta quarta-feira (27), incluindo oito soldados estrangeiros da Otan, em um tiroteio no aeroporto militar de Cabul, após uma discussão entre um agente afegão e militares estrangeiros.
O incidente ocorreu no Centro de Formação Aérea da Otan, que fica dentro do aeroporto militar de Cabul, ao lado do aeroporto civil, dois dos complexos mais bem protegidos da capital afegã.
O ministério da Defesa do Afeganistão atribuiu o tiroteio a uma disputa entre um piloto militar afegão e soldados estrangeiros e informou que o oficial foi morto.
Mas os talibãs afirmaram que o incidente foi um ataque suicida executado por um de seus militantes, que trabalhava na base aérea.
"Às 11h, dentro do quartel-general da Força Aérea, aconteceu uma discussão entre um piloto afegão e seus colegas estrangeiros", afirma o ministério em um comunicado.
"Um tiroteio aconteceu e provocou mortos e feridos", acrescenta o texto, sem revelar detalhes.
"Oito militares da Força Internacional da Otan (Isaf) morreram em um tiroteio com armas leves no aeroporto de Cabul", afirma um comunicado da missão da coalizão internacional no Afeganistão, que não revela as nacionalidades das vítimas.
"Um suicida funcionário da base executou um ataque armado que deixou muitas vítimas entre as tropas afegãs e estrangeiras", afirmou o porta-voz do talibãs, Zabihullah Mujahid.
O incidente aconteceu após os recentes ataques executados pelos talibãs contra locais sensíveis e considerados seguros do Afeganistão. Os alvos são as forças de segurança, vitimadas por soldados infiltrados e homens vestidos com uniformes do Exército ou da polícia.
Os ataques provocam um temor do aumento da infiltração nas forças afegãs por insurgentes, que ganharam terreno nos últimos anos.
Em 18 de abril, um homem-bomba vestido com o uniforme do Exército conseguiu entrar no ministério da Defesa, um dos locais mais protegidos de Cabul, e matou três militares, incluindo um guarda do gabinete do comandante do Estado-Maior, antes de ser morto.
O ataque foi reivindicado pelos talibãs.
O tiroteio desta quarta-feira é o ataque mais violento sofrido pelas forças da Otan no Afeganistão desde a queda de um helicóptero em 21 de setembro do ano passado, que provocou a morte de nove soldados americanos.
Militar afegão monta guarda em frente à base aérea em Cabul após o incidente desta quarta-feira (27) (Foto: AP)Militar afegão monta guarda em frente à base aérea em Cabul após o incidente desta quarta-feira (27) (Foto: AP)

Novo Face

diobiajos@hotmail.com